Réu em oito processos por violência sexual, João Teixeira de Faria é suspeito de chefiar uma organização criminosa que fez fortuna com extorsão de fiéis, lavagem de dinheiro e prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional

Réu em oito processos por violência sexual, João Teixeira de Faria, o ” João de Deus ” é suspeito de construir um “império” por meio da extorsão de fiéis, lavagem de dinheiro e prática de crimes contra o Sistema Financeiro Nacional.Um relatório feito pela força-tarefa do Ministério Público de Goiás, que investiga o caso, aponta João como chefe de uma organização criminosa.

As provas incluem dois relatórios do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que detalham transações milionárias nas contas domédium e seus aliados, além de e-mails entre membros do grupo, depoimentos de testemunhas e escrituras de imóveis. Os investigadores suspeitam que o médium possa ter acumulado ilegalmente valores acima de R$ 100 milhões, em mais de três décadas.

O advogado Alberto Toron, que comanda a defesa do médium desde antes da prisão, disse que ele nunca foi acusado de extorsão, lavagem ou coisa parecida.


DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui